Intolerância a lactose, será?

24/06/2017

É comum iniciarmos nosso dia com uma bela xícara de leite, seja com café, achocolatado ou até mesmo puro. O que muitos não sabem, entretanto, é que com o passar do tempo, a nossa intolerância a lactose vai aumentando. Na realidade, mais da metade da população mundial é intolerante aos derivados de leite, mas não sabe disso!

 

O consumo de laticínios faz parte da nossa cultura alimentar, principalmente no café da manhã, porém, para muitas pessoas esse hábito pode ocasionar danos ao intestino. Gases e inchaço na região abdominal são comuns no consumo diário de derivados lácteos e, muitas vezes, o grande problema encontra-se justamente em nossa alimentação.

 

Mas, afinal, o que é exatamente a intolerância à lactose e como podemos descobrir se realmente a temos?

 

Ser intolerante à lactose significa que o seu corpo tem dificuldades na hora de digerir esta substância, que nada mais é, que um tipo de açúcar naturalmente encontrado no leite e seus derivados. Não é a mesma coisa que alergia ao leite, pois a intolerância causa apenas um desconforto e outros problemas menos graves.

 

Ser alérgico a lactose, significa desenvolver erupções cutâneas ou até mesmo apresentar fezes com sangue. Caso a alergia seja grave, pode ocorrer a anafilaxia, e neste caso você deve se preocupar, porque se trata de uma reação alérgica que pode implicar em risco real de vida. É por essas razões que um alérgico a leite deve evitar consumir produtos que contenham lactose.

 

Já para aqueles que são apenas intolerantes, é possível continuar consumindo leite, mesmo sofrendo de gases e inchaço abdominal. Algumas pessoas podem apresentar reações mais fortes, como diarréia, vômito, sons estranhos vindos da barriga, ou dores na região do estômago.

 

Para descobrir se você possui algum nível de intolerância ao leite, a dica é, antes de eliminar os produtos lácteos da sua dieta, realizar uma consulta com um nutricionista para ter certeza se o diagnóstico é realmente este.

 

Se este for o seu caso, não se preocupe, existem outras alternativas para substituir o leite de vaca convencional, como o leite vegetal, que pode ser derivado de amêndoas, soja, caju e até de arroz. Sorvetes e várias receitas leitosas também podem ser substituídas pela versão vegana, que não deixa de ser menos saborosa por não conter leite de vaca, e sim, de soja. Caso a sua preocupação esteja na obtenção de cálcio, recomenda-se que a sua alimentação contenha uma variedade grande de verduras e de peixes, que são grandes fontes desse nutriente. Fazer exercícios físicos regularmente também pode ajudar na absorção da substância.

 

Fique ligado aos sinais emitidos pelo seu organismo!

 

Texto:
Nutricionista Morgana Lima
Supervisora Express