Práticas Alimentares na Menopausa e Osteoporose

04/05/2017

Menopausa é o período fisiológico após a última menstruação espontânea da mulher. Nesse espaço de tempo estão sendo encerrados os ciclos menstruais e ovulatórios. Com tantas coisas acontecendo, é bem normal que o nervosismo, depressão, instabilidade emocional e desânimo, tomem conta.

 

Essas sensações fazem com que as mulheres busquem na alimentação, sobretudo na ingestão de doces e chocolates, uma compensação para esse período difícil. Junta-se a isso o fato de que, com o passar dos anos, acontece uma diminuição fisiológica no metabolismo basal, ou seja, o gasto de energia diminui. Se a ingestão calórica não for reduzida, o excesso será acumulado em forma de gordura no corpo.

 

O que parece tornar mais difícil o cuidado com a alimentação são as oscilações hormonais, pois elas estão associadas à necessidade de açúcar no sangue, assim como às mudanças de humor. O açúcar e o chocolate são antidepressivos naturais, porque aumentam a quantidade de serotonina no cérebro, aliviando a tensão e causando uma sensação de bem-estar. Nesta fase, portanto, esses alimentos acabam se tornando os melhores amigos!

 

Entretanto, existe uma outra saída! As deficiências nutricionais desse período, sugerem que as mulheres complementem a dieta com Magnésio, Cromo e vitaminas do complexo B. Essas vitaminas diminuem o desejo por alimentos altamente calóricos.

 

O Magnésio é encontrado nos cereais de trigo integral, castanhas, carnes, leite, vegetais verdes e legumes. O Cromo, no óleo de milho, mariscos, cereais de trigo integral, carnes e água potável. A vitamina B, por sua vez, é encontrada na carne de porco, gema de ovo, fígado, coração, miúdos, presunto, nozes, levedo de cerveja, germe de trigo e peixes.

 

Mas não é só isso. Com o passar dos anos surge também outro problema de saúde: a Osteoporose, doença em que os ossos começam a ficar mais fracos e os riscos de fraturas se tornam mais comuns. Nesse caso, o indicado é ingerir boas fontes de Cálcio, como leite e derivados, sardinhas, mariscos, ostras, repolho crespo, folhas de nabo, folhas de mostarda e brócolis. O álcool e a nicotina devem ser evitados, pois dificultam a renovação das células ósseas.

 

É necessário ressaltar que na juventude, o organismo consegue se defender dos radicais livres (substâncias que aceleram o envelhecimento), mas após os 30 anos de idade, esse sistema de defesa vai se enfraquecendo. Torna-se então necessário inserir no cardápio, alimentos que ajudem a neutralizar os radicais livres como, por exemplo, os ricos em Vitamina C (frutas cítricas, tomate, pimentão), Betacaroteno (folhas verde-escuras, cenoura, abóbora, tomate, mamão, melancia), Vitamina E (óleos vegetais, frutas oleaginosas), Zinco (carne, ostras, leite, cereais integrais), Selênio (peixes, frutos do mar, cereais integrais) e Manganês (frutas oleaginosas, como nozes, castanhas, pistache, amêndoas).

 

Como podemos ver, a menopausa surge exatamente em uma época em que a mulher está suscetível a outras complicações. Uma alimentação balanceada é muito importante para evitar transtornos. A dieta deve ser bem fracionada, favorecendo o funcionamento intestinal e a absorção dos nutrientes.

 

Deve-se evitar alimentos gordurosos, doces, açúcar simples, frituras e optar por alimentos mais saudáveis como cereais integrais, leite, iogurtes desnatados, queijos magros, verduras, legumes, frutas frescas, leguminosas e carnes magras. É importante variar sempre os alimentos nas refeições, para evitar a monotonia e garantir a ingestão de todos os nutrientes necessários. Cuide de você, cuide da sua saúde!

 

Texto:

Nutricionista Morgana Lima
Supervisora Express