5 razões para realizar o planejamento estratégico

10/09/2019

O contexto atual exige cada vez mais agilidade, flexibilidade, ousadia e planejamento, o problema é que a partir da escuta de alguns profetas ou empreendedores de palco, algumas empresas simplesmente deixaram de fazer o planejamento. Muitas empresas utilizam como desculpa o fato da falta de tempo para planejar, outras a dificuldade de acompanhar a velocidade das mudanças.

 

Em outros casos a empresa já nasce sem planejamento e cresce muito em função das oportunidades ou visão do dono, com o tempo os empreendedores acabam sentindo que falta algo para dar o próximo passo.

 

Na prática como consultores podemos afirmar que empresas que deixam de realizar o planejamento estratégico sempre perdem. Em 2017 aplicamos um diagnóstico em mais de 30 empresas da Serra Gaúcha e quando analisamos os resultados, percebemos que empresas que mantiveram o planejamento estratégico, principalmente, definição de objetivos e metas claras, conseguiram crescer ou se manter no mercado. Enquanto que as empresas que deixaram de planejar, na sua grande maioria tiveram problemas econômicos-financeiros, perda de mercado e/ou estavam num ponto de estagnação. Muitos dos executivos inclusive nos relataram que a empresa não acreditava mais em planejamento estratégico em função da velocidade das mudanças.

 

Independente da velocidade das mudanças, é preciso ter um “norte claro” ou “direcionamento” para onde a empresa pretende ir.

 

Mas afinal, quais são os principais motivos para ainda fazer o planejamento estratégico?

 

1. Definir diretrizes estratégicas

Quando a empresa define quais são as suas diretrizes estratégicas, ganha mais agilidade no processo de tomada de decisão. Ou seja, é mais difícil procrastinar as decisões, uma vez que você passa a ter clareza sobre o que a empresa pretende, o que é permitido e o que não é permitido.

 

2. Comprometer a equipe

É muito comum nas nossas entrevistas de diagnóstico os gestores comentarem que as equipes não estão comprometidas, e por outro lado, as equipes comentam que não possuem um direcionamento claro de onde a empresa pretende chegar. Quando o planejamento estratégico é desenvolvido de forma que as equipes participam, o fato de haver ações específicas para as equipes faz com que as pessoas queiram atingir  as metas e objetivos propostos e se comprometam com as ações. Sempre recomendamos envolver os funcionários no desenvolvimento dos planos de ação e até mesmo coloca-los como responsáveis. Você pode conferir aqui como envolvemos os nossos profissionais no planejamento estratégico.

 

3. Pensar e refletir sobre novas oportunidades

É muito comum as pessoas se acomodarem nas suas funções, e ao se acomodarem, não buscam novas oportunidades de mercado. Quando o plano estratégico é conduzido de forma eficaz, lançamos desafios para que sejam pensadas em oportunidades, tiramos as pessoas da zona de conforto.

 

4. Conhecimento do mercado e dos concorrentes

Muitas empresas quebram por não acompanhar as tendências de mercado, os concorrentes ou outros produtos e serviços que substituirão exatamente o que a sua empresa faz. Durante o processo de planejamento estratégico instigamos a empresa a buscar informações de mercado, entender o seu posicionamento, e com isso a empresa torna-se muito mais “inteligente”, pois passa a ter uma nova lógica de análise de informações.

 

5. Criar uma cultura de alto desempenho

Quando a empresa tem o planejamento estratégico bem definido, os papeis de cada gestor e de cada funcionário ficam muito claros, pois as pessoas passam a perceber a sua importância e sentido dentro da equipe. O alto desempenho ou alta performance tem relação direta com os comportamentos que nos levam para outro patamar. A cultura de alto desempenho tem relação direta com os resultados financeiros (tangíveis) e até mesmo resultados de qualidade (satisfação do cliente, permanência nos profissionais na empresa, qualidade dos produtos ou serviços prestados) etc.

 

lém desses cinco motivos para implementar o planejamento estratégico, muitos executivos nos questionam qual é o melhor modelo de planejamento? Acreditamos no modelo que gera aprendizagem, ou seja, sempre analisamos qual é o estágio de maturidade da empresa em relação ao tema planejamento estratégico e com base nesse diagnóstico e no entendimento dos profissionais da empresa, implementamos a metodologia que proporcionará mais resultados para a empresa e aprendizagem para os profissionais, sempre sinalizando os próximos passos.

 

Acreditamos também que as ferramentas existentes podem ser úteis e podem ser adaptadas ao contexto da empresa, por exemplo, análise SWOT, matriz BCG, matriz Ansoff, 7S da Mckinsey, 5 forças de Porter, matriz de importância, BSC, competências essenciais, entre outras. Entretanto, a ferramenta por si só e de forma isolada pode não fazer sentido, já vimos empresas com ferramentas e um pensamento estratégico excelente, mas pouca execução. Em complemento a isso, estudos de Harvard mostram que a excelência na execução das estratégias é o desafio número um para os líderes empresariais, encabeçando uma lista de cerca de 80 tópicos, que incluem inovação, crescimento do faturamento etc.

 

Como já dizia John L. Beckley “a maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar.”

 

Texto Mikael Dalberto - Diretor da MKF Soluções

Mikael é especialista em Desenvolvimento de alianças estratégicas e mediação em processos de negociação de vendas e incorporações de empresas. Possui experiência de mais de 10 anos nas áreas de Gestão, Estratégia, Negociação, Marketing e Vendas.

Para saber mais sobre a MKF Soluções acesse o site deles aqui.